FAQ´S

O Autofinanciamento da cooperativa. 

       O autofinanciamento, como o próprio nome indica, corresponde a uma fonte de financiamento gerada dentro de uma entidade. Distingue-se, assim, de outras fontes de financiamento ao dispor das empresas e outras entidades, como sejam o recurso a financiamentos externos (financiamentos bancários). 
       O autofinanciamento na Cooperativa Habitacional Geraldo Santana, advém do cooperado, do valor mensal que ele paga (coopera) para a aquisição da sua unidade habitacional adquirida.

O Programa Habitacional. 

      Atualmente composto pelo Projeto Cavalhada previsto para 300 (trezentas) unidades, estando 280 (duzentos e oitenta) entregues e 20 (vinte) em construção.
Conheça o projeto, acessando a respectiva seção: 
PROJETO CAVALHADA


As Assembleias Gerais. 

       É o órgão máximo deliberativo da Cooperativa, nela os cooperados (associados) reúnem-se para tomar deliberações sobre determinado assunto e transcrevê-las em relatórios, as Atas, as quais constam na seção “Institucional”, ou na seção dos seus respectivos Projetos. 

O Estatuto Social. 

       São as normas que, juntamente com a Lei 5.764/71, regulam o funcionamento da Cooperativa, os direitos e obrigações dos cooperados. 

Quem pode participar do Programa Habitacional? 

       Todos. Basta tornar-se mais um cooperativado (associado) na nossa Cooperativa, e este procedimento é muito simples. 
Para tanto, acesse a nossa seção “Associe-se”. 

Após ser um cooperativado (sócio) poderei abandonar o Programa? 

       Sim. Embora a sua participação seja de suma importância para o Programa Habitacional, pois por este ser autofinanciado, na participação assídua de cada um está o sucesso de todos. 

Após ser um cooperativado (associado) poderei transferir a posse que tenho a outro interessado no Programa? 

       Sim. Mas devo saber que "até o término do Projeto Habitacional, quando será possível saber seu custo efetivo total e ratear as despesas entre os associados, os cooperativados sorteados detém somente a posse das unidades habitacionais concluídas, sendo que a propriedade dos imóveis segue sendo da Cooperativa, gestora dos recursos e responsável pela construção. 
       Em razão de a Cooperativa ser a proprietária dos imóveis e considerando que por determinação legal e estatutária é indispensável ser associado para ter direitos sobre os imóveis construídos por esta, a cessão de posse e direitos a terceiros só se efetiva com a anuência da Cooperativa e mediante associação do terceiro interessado". 
       Portanto a transferência é somente efetivada, quando o cooperativado atual e o interessado (novo cooperativado) comparecerem a Administração da Cooperativa e procederem às assinaturas da documentação necessária a transferência.